quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Crescente


Internet
A cada noite mais o céu se ilumina,
E esmaece nesse brilho o cintilar
Dessas saudades de um sorriso de menina,
Dessas lembranças de um antigo e doce amar.

Pois quando vejo o teu sorriso que fascina
Cresce em meu peito uma esquecida sensação
Que, em cascatas de calor, de adrenalina,
Rejuvenesce um combalido coração.

E nesta luz que me ilumina toda a alma
Quero cantar sem ter qualquer cuidado ou calma,
Sem mais razões, explicações, sem hesitar;

E num crescendo majestoso a melodia
Do nosso amor fará a grande poesia,
À luz crescente em prata do nosso luar.

Niterói, 29 de fevereiro de 2012
às 22:21 h (lua crescente)
Rodolfo Barcellos


Este é o terceiro de uma série de quatro sonetos temáticos, programados para publicação nas datas e horas em que mudam as fases da lua, de acordo com as tabelas de efemérides astronômicas. O tema é o paralelismo poético entre as diferentes fases da lua e as do amor. 
Próxima postagem desta série: PLENILÚNIO
Em 08 de março, às 06:39


Postagens anteriores:


13 comentários:

  1. Hoje eu olhei para o céu e vi os contornos da lua que cresce, e enquanto passeava os pensamentos pelas estrelas que cintilavam no negrume do céu, pensei no poema que aqui veria - sabendo de antemão que me encantaria, no entanto, não contei com o fascínio que em mim este soneto causaria...talvez alguma daquelas estrelas tenha piscado pra mim, segredando coisas que as palavras repetem, como ecos a entonar a canção mais antiga do mundo...

    Preciso dizer que amei???
    Bjos, meu poeta alquimista!

    ResponderExcluir
  2. Barcellos....

    Fiquei tão fã desse bruxo que consegue faze inté eu oiá pra lua e lembra dos seus versos... pode um gonócio desse ? hehehehe...

    Abraços meu amigo
    Tatto/Xipan

    ResponderExcluir
  3. Barcellos,
    Como sempre, um soneto de ótima qualidade e cheio de inspiração.

    ResponderExcluir
  4. Apaixonante os versos e ela a lua !

    ResponderExcluir
  5. Meu maracujá de gaveta!
    As fases da lua mexe com nosso imaginário sempre...e vc nem é diferente de mim...tenho tantas poesias e poemas feito nos momentos em que a lua se transforma ou melhor muda de evolução...
    bjsssssssssssssss

    ResponderExcluir
  6. A lua, o amor e um poeta que sabe me emocionar...
    Tenho que aplaudir de pé!!!
    Parabéns, você é D+!!!
    Fique com Deus, com a natureza e toda essa inspiração!!!

    ResponderExcluir
  7. Talvez eu roube esse poema de lua e amor crescente. Talvez eu rabisque algumas linhas e dê a elas o nome de crônica. Tudo há de ter um nome, não é? Então que sejam crônicas os meus escritos... Crônicas agudas. Talvez, apenas talvez...

    Beijo, poeta de todas as luas.

    ResponderExcluir
  8. Caro Rodolfo,

    Você construiu o soneto com a primazia e sensibilidade que o belo luar merece.

    Parabéns!

    Aguardo ansiosamente pelo Plenilúlnio

    ResponderExcluir
  9. Rodolfo...

    Lindo seu poema...
    Me deu vontade fe fazer uma ceramica em homenagem a lua...
    talvez...

    Seu poema merece aplausos...de pé!!

    Um beijo...ah..amei o verso que vc deixou la na postagem Amazonia!!

    ResponderExcluir
  10. A lua sabe que vai crescer, passar por outras fases, permanecer ausente e, mais uma vez, se desenvolver diante de nossos olhos. O amor também cresce e fica iluminado, mas dele havemos que cuidar, para que não dance no mesmo ritmo do luar, permanecendo tão novo como quando teve início.
    Que você encanta, é sabido. Mas sempre é capaz de surpreender.

    (O niver é de minha irmã)

    Sua trova me deixou encantada. Obrigada.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  11. Sonetos que contam segredos
    De fases de lua
    Se for cheia vai chamar sereia
    E na minguante será nua

    Escrevendo ara a lua no céu!!!!

    Lindo amigo!!

    ResponderExcluir
  12. Bonito e doce o seu soneto, Rodolfo. Um abraço!

    ResponderExcluir
  13. Que magico meu Amigo, amor e lua, inseparáveis...

    beijos
    cvb

    ResponderExcluir