segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Mosaicos

     Nesse ano e tanto de Blog, sobraram-me alguns retalhos de textos e alguns versos que não se encaixaram bem em certos poemas. Alguns deles foram aproveitados em comentários e e-mails - e os meus amigos que os leram não terão dificuldade em reconhecê-los nesta colcha mal alinhavada.
     Aliás, o primeiro título que me veio à mente foi "Retalhos"; mas minha amiga Regina - a quem pedi auxílio para ilustrar a postagem - enviou-me uma imagem tão eloquente que resolvi rebatizá-la como "Mosaicos".
     E minha consultora lírica, a Milene, carimbou a escolha. Portanto, amigos, lambuzem o fura-bolos nesta raspa do tacho... e apreciem.


Similia Similibus

Quando eu te conheci
Teu tristonho coração
Estava na U. T. I.
Recebendo transfusão.

Após longo tratamento,
Sem nunca deixar-te em falta,
Vemos chegado o momento
De conceder tua alta;

Vemos isso pelas cores
Que a teu rosto retornaram,
Varrendo o cinza das dores
Que antes te atormentaram.

Mas longe da enfermaria
O tratamento prossegue,
À base de poesia
A que teu peito se apegue.

É de uso continuado
A medicação prescrita;
O seu uso é indicado
A qualquer alma aflita.

E enquanto tu me quiseres
Como médico e doutor,
Exercerei meus misteres
Com versos, rimas, amor.
* * * * *


Quem?

Quem és? De onde vens? Para onde vais?
Chegaste-me como quem chega da noite,
Como suave brisa perfumada,
Que busca a si mesma, sem se achar;
E em voltas de procura incessante
Tornaste-te tornado torturante,
Destroçaste o abrigo que te dei;
Derrubaste as fronteiras de minha alma,
Atiçaste o fogo com que te amei.
Quem és? És brisa errante.
De onde vens? De algum lugar no horizonte.
Para onde vais? Não sei...
* * * * *


Para Jana

Lembro ainda teu olhar arregalado
Teu sorriso generoso e juvenil
Teu abraço carinhoso e apertado,
Teu semblante meigo, doce e gentil.

Tuas asas te levaram para o Oeste
E eu voei nas minhas para o Norte;
Seguiste os caminhos que quiseste
Enquanto eu perseguia os da sorte.

Nós nos perdemos um do outro, Jana...
Por selvas e montanhas separados
Jamais, porém, por nosso sentimento;

Y cuando te allé en mi ventana 
Mirándome con ojos encantados.
Graças eu dei, por tão feliz momento!
* * * * *


Inocência (sobras do poema de mesmo nome)

Perdido eu neste negror caos complexo
Tu me ensinaste com luz e calor.
Roubaste-me a inocência pelo sexo
E hoje ma devolves pelo amor.

Ó tu, sacerdotisa de meus deuses
Ó tu, que me fizeste enfim um Homem
Ó tu, que me roubaste a inocência

Onde a Morte e a Vida se confudem
Onde o prazer e a dor se reencontram
Onde o Espaço e o Tempo se anulam
Onde se abraçam o santo e o pecador

Onde os espectros da Morte se desfazem
Onde  as loucuras da Vida resplandecem
Onde inocência e pecado se abraçam
Onde as leis perdem todo o seu valor

Aqui eu encontrei a minha essência
Aqui a minha vida se perdeu
Aqui meu ser enfim se completou
Aqui é meu tugúrio, minha casa
Aqui o meu destino se encontrou

Ontem eras desejo, inquietude
Hoje és prazer, loucura, sonho, vida
Depois serás descanso, realidade
E recomeçaremos outra vez...
* * * * *


Liberdades Poéticas

E as nuvens preguiçosas vão passando
Ao beijo de uma brisa perfumada...

Em teus olhos lampejaram vagalumes
E uma lágrima na tua face deslizou;
E deteve-se na fímbria de teus lábios,
E na sombra de um sorriso agonizou.

E desfez-se em cintilações brilhantes,
E sumiu-se em tantos brilhos cintilantes,
E apagou-se em preciosos diamantes,
E morreu entre lampejos coruscantes...

E juntos cavalgamos
Em louca disparada,
E exaustos repousamos
No fim desta estrada.
* * * * *


Encíclica em crítica enclítica

Por que fizeste, poeta, este verso?
- Fi-lo porque qui-lo.
Por que julgas que és parte daquilo?
- Sou-o só por sê-lo.
Criaste algo nele como apelo?
- Crio para crê-lo.
Ou viste nele o teu próprio anelo?
- Vi-o só por vê-lo
* * * * *


Ser ou estar? (comentário a uma crônica particularmente inquieta da Milene)

Renegas o verbo Ser
E conjugas o Estar;
Dormes hoje sem saber
O que irás acordar;

Estejas hoje cronista,
Amanhã - quem saberá?
Talvez a pena da artista
Noutro estilo escreverá.

Estejas velha ou menina,
Sejas violeta ou bonina,
Girassol ou mal-me-quer,

Estejas espinho ou rosa,
Ora verso, ora prosa,
Tu sempre SERÁS mulher!

Quem estás hoje, querida?
Estejas bem!
Beijos carinhosos.
* * * * *


O Coração e a Flecha

A flecha tem alvo certo:
É o coração partido
De uma corça que, decerto,
Derramou pranto sentido.

Que leve esta seta alva
Bálsamos confortadores
Unguentos de cravo e malva,
Aliviando as dores.

Permita-me o exímio arqueiro
Que um guizo feiticeiro
Eu prenda à haste da seta

Pra nossa corça ferida
Despertar pra nova vida
Tendo novo amor por meta.
* * * * *


Intercâmbio Cultural

Não entendo teu "past tense",
Tu não entendes meu "ser";
E por muito que eu pense
Não consigo aprender.

Minha língua em tua boca
Tem um sabor diferente,
Agridoce, coisa louca,
Neste teu sotaque quente.

Teus verbos conjugarei,
To kiss, to live, to love,
No tempo mais-que-perfeito,

Com objeto e sujeito,
No modo que mais te prove
O quanto eu te amarei.
* * * * *

Ah, já ia esquecendo... veja as fotos do lançamento do livro "O Outro Nome da Rosa" no site

A primeira edição está esgotada. Para reservar seu exemplar impresso da segunda, ou baixar uma edição virtual (reduzida), acesse
http://rrbarcellos.weebly.com/obras-literaacuterias.html


20 comentários:

  1. Encontrei vários tesouros em uma única postagem.
    Seus versos falam aos nossos ouvidos e têm vida.
    Gosto quando leio e sinto a emoção do poeta. É assim que vejo a poesia, ato de amor, independente do tema abordado.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Amigo Rodolfo, acabo de vir do site onde estão as fotos do lançamento e vi que foi, realmente, um sucesso. Vc merece, meu amigo! Agora, quanto a esses teus "mosaicos"...só mesmo quem sabe recortar as palavras e encaixá-las com perfeição no lugar que cabem, entende que o mosaico é na verdade o grande quebra cabeças que é viver! Lindos, todos esses pequenos grandes retalhos que te vão na alma de poeta! Grande beijo,

    ResponderExcluir
  3. Rodolfo... Amei as fotos... queria poder ter estado lá..
    Imagino a sua alegria.

    Agora fomos aqui presenteados com lindos poemas.. Mosaicos...adorei... prefiro Mosaicos por motivos óbvios..rs

    Parabéns meu amigo..vc fez e faz por merecer todo o sucesso e alegria.

    Beijo no coração..da sua fã

    ( Nunca me esqueço da imagem da Bruna-Iracema)

    ResponderExcluir
  4. Barcellos,
    Bem típico de quem sabe, as "sobras" sobram em lirismo e criatividade. Parabéns, JAIR.

    ResponderExcluir
  5. É Bruxo, seu amigo Jair disse bem. Que das sobras possamos nós nos fartar... e que D'us preserve meu pecado!
    Beijuuss, amado, n.a.

    ResponderExcluir
  6. Sobras e restos me interessam... rss

    Barcellos...
    Aew meu véi bruxo peão campeão dos palavreamentos... Fui lá ver as fotos, já que não pude ir Macacaumente a tarde de otógrafos de seu livro " O outro nome da rosa " ... mó lesgaus... Vi até o Leonel , meu amigão do core "Deny Gloover".. rss Gostei pra dedéu, No próximo eu vou nem que seja de carona..... hehehe
    Abraços e Parabéns amigão..

    Deusssssssssssssskiajude
    Tatto

    ResponderExcluir
  7. Barcellos LIndo,
    Terei que voltar para lê-los novamente e apreciá-los um por vez... porque viajei demais de um ao outro.... como nas asas dos pássaros de fogo.
    Seu belíssimo mosaico me dispersou em cada pedacinho encantado....e me deteve a cada verso.
    Muito bom mas lerei novamente...
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Se com "reciclagem" das sobras saiu tanta beleza, imagine com os lapidados!
    É o chef que faz iguarias com as sobras do banquete!
    Abraços, amigo!

    ResponderExcluir
  9. Parece que o coração e a flecha estão sempre encontrando o arqueiro e, às vezes, o alvo é certeiro e acaba até matando,não de amor, mas de dor...
    Beijos
    :D

    ResponderExcluir
  10. Olá...
    cheguei aqui através do blog da Amélia.
    Um grande achado, já estou a te seguir.
    Beijos n'alma.
    Lindalva

    ResponderExcluir
  11. Meu maracujá de gaveta !
    Me diga como vc está depois das emoções que vivestes por estes dias.Eu fico só a imaginar esses tipos de emoções...da qual já vivi e vivo sempre que vou à algum lugar apresentar meu livro.Falar em livro,devo estar pertinho de pegar o meu,estou ansiosa...
    Hj prestei uma homenagem para nosso amigo André Mansin.Passa lá prá ver e deixar teu comentário...
    bjs de um lindo alvorecer!

    ResponderExcluir
  12. Passeei pela teu momento repleto de amigos, a celebrarem a realização desse sonho que era nuvem e fumaça, crescendo como passarinho que voou nas asas amigas - como as que te foram abraçar.
    Linda a festa da concretização sonhada.

    O mosaico...tudo tão lindo, mas...fiquei engasgada com O Coração e a Flecha...deve ter-me tocado num ponto qualquer...

    Beijo feliz por passar aqui!

    ResponderExcluir
  13. Amigo,

    VI as fotos do lançamento do teu livro.Muito bom! Que festão ehhhhhhhhh..........
    Pena que moro tão longe.....adoraria ter estado junto com vocês naquele momento!

    Parabéns e muito sucesso!

    Beijinhossssssssss

    ResponderExcluir
  14. Via as fotos do lançamento do seu livro e curti muito...lá no blog so Tatto.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. VIII CONCURSO PLÍNIO MOTA DE POESIAS 2011 (MACHADO-MG). FALEM COMIGO!

    A ACADEMIA MACHADENSE DE LETRAS (Machado-MG) comunica que estão
    abertas as inscrições para o VIII Concurso Plínio Motta de Poesias, do
    ano 2011.
    Entrem em contato para adquirir o Regulamento:
    a/c Carlos Roberto machadocultural@gmail.com
    ESTE CONCURSO ESTÁ ABERTO PARA TODOS!

    OBS: O VALOR DA INSCRIÇÃO ( 2 REAIS) PODE SER COLOCADO DENTRO DO ENVELOPE COM AS 6 CÓPIAS DA SUA POESIA.

    ResponderExcluir
  16. Oi RR, maravilhosas e vibrantes fotos de teu lançamento querido mágico de ÓZ!
    Sucesso porque vc merece meu querido!

    Felicidades caríssimo e que teu sucesso amplie mais e mais esse talento ímpar de poeta seresteiro.

    bj nas maõs

    LU C.

    ResponderExcluir
  17. Coloque em seu coração os sonhos que você tem.
    ____¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦
    ___¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦
    _¦¦¦¦¦¦¦¦Os poderes que lhe pertencem e o amor mais
    ¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦(¯ `:´¯)¦
    ¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦(¯ `•.\|/.•´¯)¦
    ¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦(¯ `•.`(?).•´ ¯)¦
    _¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦(_.•´/|\`•._)¦ forte de que é capaz.
    ___¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦ (_ .:._)¦
    _____¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦E descobrirá a magia de ser feliz!
    ¦______¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦
    ¦¦_______¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦ Que Deus ilumine vc e sua sagrada Familia
    ¦¦¦¦_______¦¦¦¦¦¦¦ ¦¦¦¦¦¦______¦¦¦¦¦Este é o meu desejo para você.
    ¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦¦
    Um Abençoado e feliz final de semana.
    Beijos no coração.
    Evanir

    ResponderExcluir
  18. Fiquei tão feliz ao receber sua visita que não consegui deixar de vir agradecer. Uma palavra de elogio vinda de você é como um "bravo" no final da ópera.
    Obrigada!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  19. Rodolfo parabéns pelo livro, desejo-lhe que ele lhe renda muitas alegrias.

    O mosaico está cheio de jóias preciosas.

    Senti-me envaidecida e honrada com sua visita e por estar a me seguir.

    Um abraço no seu coração!

    ResponderExcluir