sábado, 10 de novembro de 2012

Sete sete-setes, XI

     Olha aí mais sete sete-setes... e a XI.2 estava perdida pelos arquivos do meu PC. Nem sei se tem dono - se tiver, me avise.
Foto: Rodolfo Barcellos
XI.7- Denise, 15/7/12
Poesia que brota d'alma
De uma outra Poesia
E traduz em paz e calma
O viver de cada dia
Espalhando no caminho
O calor do seu carinho
Aquecendo a tarde fria...

XI.6- Milene (MSN), 9/7/12
Já fui no teu Relicário
Tantas vezes que nem sei;
Vi as cores ao contrário,
Muitas outras mais verei.
Muda as vestes amiúde
Disputando ao Inquietude
"Marrai filidô sô rei"!

XI.5- Leonel, 8/7/12
Como um astro cintilante
Que retorna ao perigeu
Como aniversariante
Pois há dois anos nasceu,
Esse Asteroide errante
Será sempre "acertante"
Para o fã-clube seu!

XI.4- Regilene, 7/7/12
São como cara e coroa
O prazer e a agonia,
A hora ruim e a boa,
Também a dor e a alegria.
A moeda tem dois lados
Que nunca estão separados;
Mas cada um tem seu dia.

XI.3- Cecília, 7/7/12
É nesse recolhimento
Silencioso e fecundo
Que sentimos o momento
Numa fração de segundo
Que dura uma eternidade
E mergulha, na verdade,
No nosso "eu" mais profundo.

XI.2- Inédita
E meus olhos se renovam
Em sonhos e fantasias,
Onde eles bebem e provam
Esta beleza sem par
Com a qual tu nos sacias
Nessas lindas poesias
A nossa sede de amar...

XI.1- Sandra Subtil, 6/7/12
"Eu te amo" é a expressão
Mais poderosa que existe:
Dita, abre um coração,
Calada, deixa-o triste.
O amor, mesmo o mais forte,
Se abandonado à sorte
Ao silêncio não resiste.

Niterói, novembro de 2012
Rodolfo Barcellos

     PS: Parabéns ao Jair pelo 4º aniversário (anteontem) de seu "blog" pensador:
http://jairclopes.blogspot.com/2008/11/blogando.html

     E também à amiga Regilene, que no último dia 5 arredondou o número de suas primaveras. E para penitenciar-me da demora...

Mando-te com certo atraso
Mas com meu preito perene
Pra abraçar-te neste azo
Esta trova, Regilene.

17 comentários:

  1. Muito bonita a endereçada à Cecília! E verdadeira...
    Beijinho, Rodolfo!

    ResponderExcluir
  2. Qual delas a mais linda?
    Sei ñ!!
    Beijo.
    isa.

    ResponderExcluir
  3. Hahaha... Meu Relicário não é tão "camaleante" assim, é? Agora está numa estampa por demais artística, bonita, eu gostei da vestimenta do meu filhote.

    E gosto demais dessa sua amorosidade comentadora.

    Beijo, meu bem.

    ResponderExcluir
  4. Caso para dizer que nunca é tarde Rodolfo! Tão tarde o conheci!
    Que espontaneidade, que beleza, que delícias.
    E não têm escolha!
    Não, o dono deve ser mesmo você.´O estilo lhe é tão caraterístico que tem o seu charme!
    E muito obrigada pelas deliciosas palavras. :)
    A minha admiração!
    Abraço

    ResponderExcluir
  5. Em versos, vc enfeita a vida da gente...carinho como esse que nos dá, meu querido, só mesmo agradecendo, agradecendo...OBRIGADA!

    Bjos da Poesia!

    ResponderExcluir
  6. Mais uma seleção deliciosa de versos bem escritos. Milene, Cecília e Sandra são algumas que homenageou que conheço e que merecem com certeza. Linda imagem, gosto da imponência das rosas. Um abraço, ótima semana!

    ResponderExcluir
  7. Teus comentários são sempre respostas poéticas lindas!

    bjsMeus
    Catita

    ResponderExcluir
  8. Como é rico você, meu poeta amigo! De cada texto que lê extrai a essência e cria um novo perfume, que entrega com uma expressividade louvável. E temos nossos espaços mais perfumados. Sempre tenho que dizer PARABÉNS e OBRIGADA . Bjs.

    ResponderExcluir
  9. Meu amigo, ás sete de cada vez, ainda são mais deliciosas. Adorei. Beijos com carinho

    ResponderExcluir
  10. Cinco letras…
    Cinco pontas de cadente perdida na aurora
    Na loucura de alguns instantes escrevo
    Descalço vou adiante num ir longe, embora

    Solto das mãos murmúrios sussurrantes
    Do basalto explode um bando de pombos bravos, alguns negros
    Há um livro branco apenas com a palavra ausência
    Há uma carta de marear para um rumo de mil segredos

    Flores de solidão crescem em pedaços de fria lava
    Um espantalho saltou-me do bolso a remexer
    Uma sombra desceu a janela e tocou-me
    Cerrei olhos para sentir o que não queria ver

    Boa semana

    ResponderExcluir

  11. Olá Barcellos,

    Talento, beleza e carinho nestes sete-setes.
    Meu abraço de admiração.

    ResponderExcluir
  12. Oi, amo poesia e até me atrevo a escrever alguns versos. estudei rimas e métrica, enfim até análise de grandes poetas a gente fez, mas não entendi porque colocas números e nomes de pessoas, são homenagens?
    teus poemas ou poesias são para acalentar uma alma cansada, beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jeanne Geyer, minha cara,
      Agradeço-te a visita;
      Comentário é coisa rara
      Feito em rima catita.
      Este é o XXII.1,
      Assim não perco nenhum,
      E é teu, moça bonita...

      Excluir
  13. Belas recordações de homenagens que estão sempre vivas, alimentando ainda mais as amizades...
    Abraços, Barcellos!

    ResponderExcluir

  14. Olá Barcellos,

    Obrigada pela lembrança, pois esqueci de nomear a autoria das imagens. São sim de Josephine Wall. Para quem entende de arte o estilo é mesmo inconfundível.

    Ótimo dia.

    Meu abraço.

    ResponderExcluir
  15. Que paz minha alma escura recebe ao ler seus versos...... encanto..

    ResponderExcluir
  16. Abraço-o querido Amigo, com gratidão...

    cecilia

    ResponderExcluir