sábado, 13 de julho de 2013

Trovas 351-360

     Às vezes, quando remexo meus alfarrábios, salta-me ao colo um palimpsesto empoeirado e esquecido, como uma lagartixa assustada. É o caso das "trovas" 359 e 360, que tinham sido relegadas ao limbo poético, só por não terem sido batizadas no óleo das rimas, no sal da métrica e na água da auto-suficiência das trovas ditas "normais". Mas como defendo a igualdade entre os diferentes, vou absolvê-las em nome na inclusão trovadoresca e completar com elas o ciclo das 360 trovas. Até que elas não destoam das companheiras...

359-360- Carla, 8/12/11
Cada palavra é uma pérola,
Cada verso é um colar,
Cada estrofe, uma volta
Neste teu lindo cantar!

E as pér'las pét'las viram,
E o colar se torna senda,
E esse peito mal dormido
Se entrega em oferenda.

358- Denise, 6/1/13 (no Skype)
Quando a preguiça aparece
Pode ser um bom negócio
Achar que a gente merece
Deitar na rede do ócio...

357- Marcia, 5/1/13
Eu não mudaria nada
Do bem ou mal que passei
Pois numa mudança errada
Iria o amor que amei.

356- Lu Cavichioli, 5/1/13
Voa, canarinha, voa,
Voa e canta a cantiga
Sopa de letrinha é boa
Temperada pela amiga.

355- Rita, 5/1/13
Delícias deste quilate
Não se provam todo dia;
Com morango e chocolate
Fazes uma poesia!

354- Leonel, 30/12/12
Mais uma volta que finda,
Mais uma volta no clima,
Mais uma volta bem-vinda,
Mais uma volta por cima...

353- Denise, 29/12/12
Nos teus olhos os meus sonhos
Colorem as tuas íris
Com meus rabiscos risonhos
Sempre que pra mim sorrires.

352- Sandra, 29/12/12
Que se dane o pessimismo
A má-vontade, a pobreza,
A hipocrisia, o cinismo,
A ingratidão e a tristeza!

351- Margoh, 29/12/12
Se for preciso, menina,
Descasque o abacaxi.
A casca tem vitamina
E dá uma gasosa daqui!

Niterói, julho de 2013
Rodolfo Barcellos

8 comentários:

  1. Rodolfo,

    A-d-o-r-e-i a foto! Eles são seres interessantes!

    Bom final de semana ensolarado a todos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Lindo trabalho, amigo Barcellos!
    Um abraço. Tenhas um ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
  3. Ai, como o senhor é severo com suas crias, né? As diferentes são lindas, também por serem diferentes.

    Um beijo, meu bem.

    ResponderExcluir
  4. CONVITE
    Passei por aqui lendo, e, em visita ao seu blog.
    Eu também tenho um, só que muito simples.
    Estou lhe convidando a visitar-me, e, se possível seguirmos juntos por eles, e, com eles. Sempre gostei de escrever, expor as minhas idéias e compartilhar com as pessoas, independente da classe Social, do Credo Religioso, da Opção Sexual, ou, da Etnia.
    Para mim, o que vai interessar é o nosso intercâmbio de idéias, e, de pensamentos.
    Estou lá, no meu Espaço Simplório, esperando por você.
    E, eu, já estou Seguindo o seu blog.
    Força, Paz, Amizade e Alegria
    Para você, um abraço do Brasil.
    www.josemariacosta.com

    ResponderExcluir
  5. Essa lagartixa aí tá mais pra calango...nunca vi uma com um rabão desses! Aff...tofora!!! Já suas trovas, com métrica ou sem, rimadas ou não todentro forever!!!
    Beijuuss Bruxo

    ResponderExcluir
  6. Sempre muita ternura em vc, generosa forma de nos mimar e de deixar em nossos cantos e encontros esse versejar amigo, gentil, afetuoso e atento.

    Já a fotinho... tô fora, corro sem olhar pra trás...rs
    Bjos, Poeta querido!

    ResponderExcluir

  7. Olá Barcellos,

    Tenho horror a lagartixa. Bichinho gelado...

    Lindíssimas as trovas ditas como 'diferentes'. Ao meu olhar de leiga, elas são perfeitas.
    Quanto às trovas da preguiça, nada como curti-la de vez em quando. Por que não? Merecemos, sim.
    A 353 (Denise) é pura ternura.

    Mais uma linda coletânea.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. Seus escritos não merecem reparos e não ouse desmerecer qualquer deles, alegando fugir ao chamado "correto". Vir aqui é certeza de encantamento. Eu não comparo suas trovas porque cada uma delas nasceu de especial momento, e tem sentido e beleza individual. Bjs.

    ResponderExcluir