domingo, 5 de junho de 2016

"O contrário da presença não é a ausência. É a saudade." R.R.B.

Amigos do Sete Ramos de Oliveira, coube a mim trazer aqui a notícia triste da partida do nosso Poeta amigo, depois de enfrentar algumas limitações físicas, combatente como era o bom marinheiro, libertou-se para repousar e restabelecer seu espírito sábio, encantador, milenar, único e cativante.

Me permitam esta tentativa de uma última conversa com o meu Mago querido...



É assim que de você vou me lembrar!!

Onde tudo começou, a 18 de fevereiro de 2011
R. R. Barcellos me disse...

- Não adianta mudar,
- Pois seu aroma é só seu.
- Já peguei a sua pista;
- Te perSIGO até o Céu!

- Sou cão rafeiro teimoso,
- Sabujo farejador;
- Ganindo por um carinho,
- Um cafuné, por favor...

Desde essa data, um mundo de poesia se derramou, e se eu pouco (ou quase nada) aprendi sobre versos, sonetos, trovas, poemas, sete-setes, sextilhas, hai-kais, indrisos e afins, estive como nunca em contato com a alma de um poeta, a quem chamei de “Mago das palavras.” Pra mim você era - sempre será - o alquimista genial, o poeta sensível, silencioso e extremamente talentoso, mas, acima de tudo, o ser humano que emocionava a gente com a prontidão e a gentileza. Teu legado neste cantinho concentra sabedoria, lirismo, amor, ternura, a refinada percepção dos sensíveis. Você era carinhoso com todos, e nós aprendemos a retribuir tua generosidade com um afeto autêntico, como você sempre foi.
Recordando daqueles dias nas Alagoas, o meu coração se enche de alegria por termos podido compartilhar momentos que vivem em nossos sentidos, todos nós seguramente temos para lembrar um momento especial, uma palavra, um olhar, um gesto, uma canção, ou tudo isso, para sempre.  Eu tive ainda o privilégio de receber um dos presentes lindos que me deu, num aniversário em que veio pessoalmente me abraçar. Memorável aquela noite entre amigos, violão e teu sorriso feliz!
Ficam comigo as centenas de conversas no MSN, os comentários primorosos nas postagens mais simples, os textos escritos trazendo tuas inspirações da madrugada. E o Pour Denise, canção linda que toca fundo o meu coração?? E o que dizer do No Silêncio criado por você só pra que eu declamasse?!
Rodolfo, Generoso bem podia ser teu sobrenome, amigo querido, Poeta irretocável, um talento literário como poucos, criativo e apaixonado pelas palavras e por suas Musas, meu Mago preferido! Fica tua obra escrita, ficam teus gestos e tua voz grave, teu olhar profundo. Você deixa plantados dentro da gente os sentimentos bons que as palavras não estão dando conta de contar, como ninguém você gotejava amor por elas, viajando pelos sentimentos de um jeito encantador.
Você foi um presente, alguém que só nos trouxe coisas boas, dedicou textos lindos, tempo e carinho. Em paz desejo que você esteja, por aqui entre nós que tivemos a sorte de tê-lo conosco, fica a saudade, aquele “eco das canções que a vida já nos cantou” como você disse.
Aliás, meu querido, você sabiamente professou: “saudade é o perfume que fica quando quem amamos se ausenta.”

Em teu rosto brejeiro, receba o beijo carinhoso da tua Poesia. 
E de todos daqui deste lugar que você tanto amou estar, seguem todos os abraços dos amigos que, certamente, passarão por aqui.
Até um dia, Rodolfo, nos inspire quando puder!




21 comentários:

  1. UM ADEUS

    Voas...
    Liberto do corpo
    teu espírito não mais encontra
    muros e barreiras ...
    Já não precisa de pontes
    e não há limites em teus horizontes

    Voas...
    Em nossos corações,
    o nublado da saudade,
    a ausência das trovas tão amadas,
    agora gravadas apenas na alma

    Voas...
    Há de espalhar teus poemas no céu
    com a mesma grandeza,
    encantando os anjos
    em uma constante
    roda de paz

    Marilene

    Uma sensação de vazio ele deixou. Os comentários em trovas, que sempre nos encantavam, cessarão. Mas a lembrança de sua grandeza, de seu talento, de seu carinho na blogosfera, nos acompanhará para sempre, dando leveza à saudade.

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente não tive o prazer de tê-lo em minha roda virtual., mas lamento a perda que percebo ter sido para o seu círculo na blogosfera. Bonita homenagem Denise.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De:Jair Lopes
      Réquiem para um polímata

      A humanidade segue seu rumo normal, produzindo homens também normais como eu e grande parte dos que vivem neste planeta. Mas, as vezes, por um capricho que foge a nossa compreensão, surgem vultos acima de todos, que fazem sombra aos comuns mortais.
      Foi assim no passado, como é assim no presente. Dentre os bilhões de seres que por aqui trafegam, uns poucos, bem poucos, se enquadram na categoria de gênios.
      Tive a ventura de conhecer, trabalhar e conviver com um prócer do quilate de gênio: RODOLFO RODRIGUES BARCELLOS, que hoje nos deixou. Barcellos, como sempre o chamamos, oficial da Força Aérea, era um exímio profissional de aviação que deixou marca por onde passou; violonista talentoso; autodidata, fluente em inglês, falava e escrevia como fora sua primeira língua; excelente jogador de xadrez; poeta inspiradíssimo; escritor de ficção científica; sujeito amigável, inteligente; franco; cético; filósofo; bem humorado; fantástico contador de casos; tranquilo e muito mais. Foi meu guru, se é que se pode dizer assim.
      Foi-se o Rodolfo Barcellos, porque a morte é a única e indelegável certeza desta vida. Hoje nosso planetinha ficou mais pobre e bem mais triste, e Érato tem menos um vate a sua disposição para os vagares idílicos de seus versos.
      O espaço que esse amigo ocupava estará para sempre vazio. Vai, meu amigo! com a calma a reflexão e o espírito inquisitivo que sempre te acompanhou! Nós ficamos aqui nesta dimensão aguardando o dia que também seguiremos esse caminho que ora se inicia para você. Aos seus familiares, nossos sentimentos.
      Jair & Brandina.
      Florianópolis, 05/06/2016

      Excluir
  4. Uma homenagem à altura do seu carinho por este ser fabuloso. Só posso agradecer a Deus a oportunidade de tê-lo conhecido neste mundo virtual. Grande talento literário e um homem iluminado e generoso. Adorava suas visitas ao meu blog e, principalmente, quando ele lá deixava alguns versos. Um amigo que ficará para sempre em nossas lembranças.
    Descanse em paz, Barcellos!

    Beijo, Denise.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Receio que nada ficasse à altura do homenageado, Vera, e é ingrata a tarefa de buscar nas palavras a expressão do coração.

      Nós o amávamos, e isso era maior do que tudo... uma saudade grande vai ocupar o vazio que fica...
      Beijo, querida!

      Excluir
  5. puxa vida Denise, como deve ter sido difícil para ti escrever o último post do blog tão poético e sábio do nosso amigo Rodolfo, poeta, escritor mas acima de tudo um grande ser humano que conquistou a tantos mesmo que virtualmente como é meu caso.
    Que finalmente descanse na paz merecida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jeanne, foi dificil comunicar aos amigos a partida de Rodolfo, procurar as palavras que pudessem traduzir um pouco do que está em meu coração, mas não foi a última postagem do blog.
      Aguarde que o Sete Ramos não cerrou as cortinas...

      Excluir
  6. Sinto a palavra adeus como "a Deus" isto é um reencontro.
    Amigo poeta e gentleman, Rodolfo me encantou com tanta simplicidade e sensibilidade.
    Nós amigos estamos tristes pela partida e pela saudade que ja faz sentir.
    Esteja na Luz Divina. Onde quer que esteja nos inspire.
    Ate um dia na curva da eternidade.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Estou chocada, fiquei sabendo agora, pelo face quando li um poema/homenagem feito pela nossa amiga Marilene Duarte.
    Meu querido RR, como sempre te chamei, descanse em paz e sei que estás.

    Ficaram teus versos, tuas rimas ricas, tua gentileza ímpar para com todos.
    Ficou tua amizade em verso e prosa, tua Rosa com nome de luz.
    Ficou a saudade de um amigo , o qual não esquecerei.

    Meus profundos sentimentos à família.
    A blogosfera está de luto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, eu deixei uma mensagem inbox pra você no início da madrugada de sábado, quando soubemos, Milene e eu - e fomos avisamos aos amigos mais chegados.

      A blogosfera está triste, reverenciando seu Poeta maior!

      Excluir
  8. Denise, fizeste uma linda homenagem, infelizmente com essa triste notícia! Que ele descanse em paz, tenha a luz e a família fique bem e receba meus sentimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chica, ele conquistou a todos nós com sua cordialidade, seu carinho imenso, seus versos lindos, seu carisma ímpar. Fará falta sua presença, mas sabemos que está bem guardado em nossos corações. Bjo

      Excluir
  9. na pele do silêncio o Poeta nos acalenta.

    Descanse em paz!

    ResponderExcluir
  10. Homenagem tocante. Bonitas palavras.

    ResponderExcluir
  11. Uma linda homenagem que adorei. Descansa em paz poeta. Já aqui tinha estado mas não fui capaz de comentar. Foi uma surpresa. Um abraço amigo onde quer que estejas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bonita é essa demonstração de carinho para nosso Rodolfo. A notícia impactou nossos corações...

      Excluir
  12. Gostaria de agradecer as homenagens e as postagens de todos quando da partida do meu irmão Rodolfo. É triste esse momento mas devemos sempre nos lembrar dele em versos, prosas e rosas.

    ResponderExcluir
  13. Rodolfo,

    Estou aqui!
    Você sabe e sempre saberá onde me encontrar.
    Você é amigo querido e uma estrela para todos nós. Que brilha!!
    Depois de anos sem aparecer na blogsfera, só passei aqui para te deixar um abraço carinhoso, um beijo especial, não um último, mas... mais um, e mais dois, mais sete, sete vezes sete..... E UM MUITO, MAS MUITO OBRIGADA AMIGO!!!!
    Você chegou e ficou eterno!!


    Carla Fernanda do Rio Doce <3 <3

    ResponderExcluir