quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Solstício de Verão



Ouça na voz de Lu Cavichioli. Se preferir, vá ao Empório do Café.


Assim, sem mais nem porquê,
Sem lenço e sem documento,
Me bateu no sentimento
A saudade de você,
Que brotou sem quando e onde
No desejo do meu bonde,
No meu rancho de sapê.

Assim, sem promessa ou jura,
Saltou-me à mão esta pena
Dançando em valsa serena
Sobre a folha branca e pura,
Em rabiscos atrevidos,
Em compassos mal medidos,
Passos de amor e ternura.

Assim, sem razão ou juízo,
Nasceu de tua lembrança
Este poema-criança
Já com seu alvo preciso;
E eu, poeta erradio,
Celebrando o novo estio,
Canto hoje o teu sorriso.

Assim, sem eira nem beira,
Sem audácia ou covardia,
Voltou-me a sorte arredia,
Sorriu-me a musa, faceira;
E o verso fluiu, jeitoso,
Namorado e ardoroso,
Para a linda feiticeira.

Assim, sem voz e sem jeito,
Nascem rimas desconexas
Em frases rotas, perplexas,
Vindas do fundo do peito
Deste peão que verseja
E as dedica à sertaneja
Com amor mais que perfeito.

Assim, sem hora ou momento,
Brotaram da pena minha
Sem ter marcas na folhinha,
Sem calendário ou evento,
Estas palavras vadias
Em louvor a tantos dias
Que te abraço em pensamento.

Assim, sem choro e sem vela
Por hoje morre-me o estro;
E este poeta canhestro
Fica sem rima e sem trela;
E pra terminar remete
Neste sete-sete-sete
Sete mil beijos à bela.

Rodolfo Barcellos
Para Milene Lima,
no dia 22 de dezembro de 2011,
às 02:30 - hora legal de Arapiraca.
COMEÇOU O VERÃO, OXENTE!


Nota: Tenho dúvidas sobre a grafia correta da expressão "sem mais nem porquê". Acho que devia ser "sem mas nem por quê". Mas por quê?

11 comentários:

  1. Eu fui lendo e adorando cada verso, atenta à simplicidade e ternura desse poema, embevecida, sorrindo... Eu não entendo nadinha de rima, métrica ou seja lá o que o valha. Eu entendo de sentir, você bem sabe. E então, quando quase finalizava a leitura, vi lá o meu nome. você dedicou a mim esse poema. E agora o que eu digo, senão um imensurável OBRIGADA?

    Você me deu o presente de Natal mais lindo de toda a minha vida e eu jamais poderei agradecer o suficiente.

    Lindo, Rodolfo... Lindo!
    Beijo-te!

    ResponderExcluir
  2. Êitchá... quio Natal tem dessas coUsas!!

    Versos lindos de pessoas maravilhosas com sentimentos descomunais de grandãos... rss

    Amocêis pra carái, Barcellos e MilenA
    Deusssssskiajude
    Tatto

    ResponderExcluir
  3. Barcellos,
    A benção do sete está em plena atividade em teus poemas inspirados. Parabéns, JAIR.

    ResponderExcluir
  4. Pois... aqui começou o Inverno.
    Vim desejar um Santo Natal e um ano 2012, tão feliz quanto o deseje. Sobretudo com muita Saúde e muito Amor, bens preciosos nos tempos que se avizinham. Tudo de bom para si.
    Um abraço e FESTAS FELIZES

    ResponderExcluir
  5. Coisa mais linda de se ler.
    Emoção boa de sentir, rsrs
    memem que a conte em rsrs!

    Lindo como sempre..
    Feliz natal meu querido ..
    Feliz natal!
    beijo beijo muitos beijos pra vc
    meu anjo poeta!
    E até daqui a pouco..
    Eu volto. Me espera?

    ResponderExcluir
  6. Quanto carinho cabe neste sete-sete-sete...eu não me canso de apreciar o resultado encantador que vc dá à mistura de palavras que constroem poemas, sonetos...

    Um Natal festivo, envolto no amor e na harmonia, celebrando o aniversário do Jesus que foi Menino.
    Um abraço afetuoso para te entregar o amor fraterno!

    ResponderExcluir
  7. Um Natal de muita paz pra ti e todos os seus meu amigo poeta...abraços fraternos.

    ResponderExcluir
  8. Lindo demais!

    Que inspiração!
    Essa moça deve estar se sentindo uma deusa: "Assim, sem mais nem porquê"...sem lenço e sem documento; me bateu no sentimento a saudade de você* * *

    É divino*:)... sem exagero, poeta.
    Ótimo natal junto dos seus familiares, uma noite de Paz!
    Saúde no ano que vem!
    Beijos; Mery*))

    ResponderExcluir
  9. NATAL... Ô Gonócio totozo... sô!!!

    Que o Barbudinho aniversariante e o outro barbudinho gordinho trazam muita felicidades, Paz, Amor e muiiiiiita saúde pra ocê e tudus os teus.

    São os votos do Tatto e Xipan
    Deusssssssssskiajude

    P.S.- Esta mensagê é fruto da minha ôtoria e foi escrevida em, ( crtl+c = crtl+v ) descaradamente... rss

    ResponderExcluir
  10. Mais uma inspiradíssima poesia do velho Brujo, homenageando sua musa das Alagoas...
    Só que na terra da musa as estações são um pouco diferentes, e por lá o verão já está perto de acabar...
    Mas, quem se importa?
    A flecha atingiu o alvo...
    Isto sim importa!
    Abraços aos dois!

    ResponderExcluir
  11. Quanta beleza encontrei nesses versos! Posso imaginar a felicidade de sua querida homenageada.
    Um presente, realmente, para se guardar no coração.

    Bjs.

    ResponderExcluir